CLINONCO - Clínica de Oncologia Médica

Endereço : Av. Nove de Julho. Nº4634/4644 - SP
  Contato : (11) 3068-0808

Entenda como remédios, genética e envelhecimento mudam a cor dos dentes

São várias as causas que levam os dentes a escurecer: traumas que provocam hemorragias internas, efeitos colaterais de alguns medicamentos, tratamentos, corantes presentes nos alimentos e má higiene bucal. Por isso, se você tem notado algum dente escurecido, o ideal é procurar um dentista o quanto antes para evitar danos que podem se tornar irreversíveis.

Quando o escurecimento está relacionado ao acúmulo de tártaro, geralmente a dentição adquire uma tonalidade amarelada. Porém, se o tártaro estiver mais perto da gengiva (subgengival) a cor dele pode mudar e ficar mais puxada para o preto, por conta de eventuais inflamações e sangramentos, causando a impressão de que o dente escureceu. Portanto, para recuperar a cor natural será necessária uma limpeza para a remoção dos resíduos petrificados.

“Por recobrir parte do esmalte do dente, proporcionando uma superfície rugosa e porosa, o tártaro também possibilita que os pigmentos e corantes dos alimentos que ingerimos, como café, refrigerante de cola e vinho tinto também se acumulem nele. O tempo que leva esse processo de escurecimento, porém, depende dos hábitos de higiene bucal e alimentares de cada pessoa”, explica Daniela Balthazar, cirurgiã dentista e especialista em implantodontia pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Ainda com relação à falta de cuidados, as cáries também podem representar um fator para que os dentes escureçam. As bactérias associadas ao seu aparecimento causam uma fermentação e liberam ácidos que amolecem a dentina (a mais interna das duas camadas calcificadas dos dentes), tornando-a porosa e manchada.

Mas vale lembrar que nem toda mancha é cárie e nem toda cárie apresenta manchas visíveis ou escuras. Inclusive a doença pode apresentar como primeiro sintoma uma mancha branca no dente e não escura.

Manchas escuras, de coloração acastanhada, também podem estar associadas à nicotina dos cigarros, ao excesso de flúor contido na água ou em alimentos e produtos industrializados que são consumidos durante o período de formação dos dentes.

Por que alguns dentes ficam acinzentados?

Existem pessoas que têm ainda dentes naturalmente acinzentados. Restaurações escuras como as de amálgama ou metálicas também podem deixar o esmalte ou a dentina com o aspecto mais puxado para essa cor, porque os metais presentes em sua composição sofrem corrosão com o passar dos anos.

“Quando o tom acinzentando tem relação com dentes que precisam ou já realizaram tratamento endodôntico (canal) isso se deve ao fato de eles não receberem mais nutrientes, uma vez que o nervo do dente morreu ou foi removido. O diagnóstico correto só pode ser feito após uma avaliação clínica e muitas vezes complementada com exames radiográficos”, conta Daniela Yano, cirurgiã dentista pela Unesp (Universidade Estadual Paulista).

A “morte” do nervo acontece devido ao agravamento de um processo inflamatório e infeccioso na polpa dentro do dente, uma região cheia de vasos e terminações nervosas que pode necrosar até a raiz. As principais causas desse quadro são as cáries não tratadas e também traumas, mesmo sem haver a fratura do dente. Vale lembrar, no entanto, que geralmente escurecimentos causados por traumas são mais homogêneos enquanto os causados por cáries são como manchas mais pontuais.

Medicamentos podem escurecer os dentes?

“Sim, principalmente na fase em que eles estão se formando”, adverte Marcos Moura, endodontista pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) e membro da ABHA (Associação Brasileira de Halitose). O profissional acrescenta que os antibióticos são os medicamentos com maior potencial para causar esse tipo de dano.

O mais conhecido por escurecer a tonalidade dos dentes é a tetraciclina, indicada para combater diversos tipos de infecção como otite, pneumonia, sinusite e até acne e que se utilizado por gestantes ou crianças antes dos dez anos de idade e de forma contínua pode modificar o tecido dentário, causando manchas amareladas ou cinzentas permanentes.

O sulfato de salbutamol, um broncodilatador indicado para tratamentos de asma, também pode desencadear manchas desse tipo e erosões no esmalte e na dentina dos dentes de leite.

Menos piores, xaropes que contenham doses muito elevadas de açúcar na fórmula também podem contribuir para alguma modificação de cor nos dentes, mas não diretamente na estrutura deles como os medicamentos anteriormente citados, mas sim por favorecerem o aparecimento de cáries. Por isso, após sua ingestão, os dentistas aconselham escovar os dentes, pois com a remoção dos resíduos a incidência do problema é minimizada.

“Não há como não mencionar também o efeito da clorexidina 0,12%, presente em alguns enxaguatórios bucais usados por pacientes com doenças gengivais, como gengivites e periodontites e que por um longo período podem alterar a coloração dos dentes”, aponta Juliana Brasil, dentista na clínica de oncologia Clinonco e especialista em estomatologia pelo Complexo Hospitalar Heliópolis, em São Paulo.

Genética e envelhecimento natural

A coloração dos dentes também pode estar associada à herança genética e nesse caso sua gama é diversa, começando do branco, passando pelo amarelo, amarronzado claro até chegar aos cinzas esverdeado e rosado.

Com o passar dos anos, a tendência é que todos esses tons escureçam e isso tem a ver com um processo natural causado pelo atrofiamento da câmera pulpar (localizada dentro do dente) e pelo aumento da dentina somado com as pigmentações extrínsecas, provenientes de alimentos e bebidas.

Os dentes decíduos (de crianças) ao contrário, são sempre mais claros do que os dentes de adultos e até por isso são chamados de “leite”. Eles possuem a câmara pulpar aumentada e maior quantidade de esmalte, o que os deixa mais clarinhos.

Como reverter o escurecimento dos dentes?

Somente depois da avaliação e do diagnóstico do dentista é que um tratamento poderá ser indicado para cada quadro. O clareamento dental costuma ser a técnica mais utilizada e segura para reverter dentes escurecidos, mas nem sempre demonstra ser eficaz, sendo que em alguns casos ameniza o problema, enquanto em outros não surte efeito nenhum, como em se tratando das sequelas deixadas pela tetraciclina.

“Nesse caso de manchamento severo e também nos de deficiência estrutural e má-formação do esmalte ou de dentina muitas vezes é preciso planejar um desgaste do esmalte e a colocação de uma coroa ou um laminado produzidos artificialmente em laboratório e “cimentados” sobre o esmalte escurecido”, esclarece Daniela Balthazar.

Existe também a possibilidade de se fazer um clareamento interno em dentes que destoam dos demais por terem sido submetidos a tratamentos endodônticos com substâncias químicas, como a mistura de perborato de sódio e o peróxido de hidrogênio a 20%.

No entanto, em alguns casos, não se consegue corrigir esse escurecimento e a alternativa pode ser a correção estética por meio das já indicadas facetas laminadas e também lentes de contato. “Bicarbonato de sódio, carvão e outros produtos caseiros não clareiam os dentes e podem prejudicar o esmalte, causando danos irreversíveis”, lembra Marcos Moura.

A lição que fica, portanto, é cuidar bem da higiene bucal e visitar o dentista regularmente, assim, se houver algum problema a ser corrigido, o profissional poderá indicar o melhor tratamento para garantir um sorriso saudável e bonito. Às vezes, nem é preciso muito. Algumas técnicas, como sessões de LED e aplicações de gel clareadores, por exemplo, são rápidas de se fazer e rendem resultados eficientes no curto prazo.

 

Acesse o link do Portal UOL: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/06/05/entenda-como-remedios-genetica-e-envelhecimento-mudam-a-cor-dos-dentes.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *