CLINONCO - Clínica de Oncologia Médica

Endereço : Av. Nove de Julho. Nº4634/4644 - SP
  Contato : (11) 3068-0808

Todos os Posts com a Tag: Dieta

9 Hábitos saudáveis que precisa adotar

Mais do que nunca, estamos entendendo a importância de adotar hábitos positivos para a nossa saúde.

Com a pandemia, fomos restringidos de algumas atividades cotidianas e tivemos que nos adaptar a uma nova rotina.

Mas, você incluiu hábitos saudáveis no seu dia a dia?

Caso a resposta seja não, é bom conferir algumas sugestões que podem te ajudar a se manter saudável durante o isolamento social:

-Tenha uma alimentação saudável;
-Regularize o seu sono e durma o necessário;
-Alongue-se durante o dia;
-Faça pausas regulares e programadas durante suas atividades em casa;
-Mantenha contato com pessoas positivas;
-Exercite-se em casa;
-Medite e analise os seus propósitos de vida;
-Dê atenção à sua saúde mental;
-Beba água.

Esses hábitos parecem simples, mas podem fazer uma grande diferença na sua saúde física e emocional!

Leia Mais

Cuidados alimentares reduzem risco de recaída do câncer

Muito já foi discutido sobre a importância de alimentação e hábitos saudáveis na prevenção de diversas doenças, inclusive do câncer. Estas informações são baseadas em conceitos teóricos ou experimentação animal, mas poucas foram extraídas de estudos em humanos. Claro que temos evidências baseadas em observações epidemiológicas que permitem certa associação com benefícios sugeridos.

A Medicina vive de informações mais precisas e estudos clínicos desenhados especificamente para demonstrar estes resultados são necessários. Poucos estudos clínicos foram estabelecidos para demonstrar a influência da alimentação sobre um tipo de câncer.

Vamos aqui comentar sobre os dois estudos importantes que para recomendar nossa orientação dietética a mulheres que tiveram diagnóstico de câncer de mama.

Alimentação x recidiva câncer

O primeiro estudo, Chlebowski e colaboradores avaliaram o efeito de uma dieta baixa em teor de gorduras (menor que 20% comparada com a dieta considerada padrão com média de 32% de gorduras) em quase 50 mil mulheres saudáveis e observou-se a incidência de casos novos de câncer mama e mortalidade nas que vieram a desenvolver esta doença. Ainda que não se tenha observado uma redução importante no risco de desenvolver câncer de mama, as mulheres que vieram apresentá-lo tiveram menor mortalidade por câncer de mama e particularmente grande benefício na sobrevida.

Já o segundo estudo, Patterson e colaboradores observaram o comportamento de 2400 mulheres com câncer de mama em fase precoce em relação ao período de seu jejum noturno. Treze ou mais horas em jejum noturno permitiram uma redução no risco de recaída de 36% ou mais, sendo que o benefício foi progressivamente maior, da ordem de 20%, a cada adição de duas horas ao período de jejum. Além disso, os autores também concluíram que um aumento no tempo de jejum noturno reduz potencialmente o risco de diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e outros câncer.

Tentando-se abstrair uma orientação única de dois estudos heterogêneos como estes, é que passamos a recomendar a todas as mulheres, e particularmente aquelas que tiveram câncer de mama, uma alimentação com baixo teor de gorduras e um período de jejum noturno mais prolongado.

Autor: Dr. Artur Malzyner, oncologista e consultor científico da Clinonco

Colaboração de Natalia Fernandes Garcia de Carvalho, mestre em Ciências

 

Acesse o link do Portal Ativo.com: https://www.ativosaude.com/especialistas/alimentacao-x-recidiva-cancer/

Leia Mais

Dieta cetogênica e câncer: qual é a relação?

Muitos sobreviventes de câncer são altamente motivados a buscar informações sobre escolhas alimentares, atividade física, uso de suplementos alimentares e terapias nutricionais complementares para melhorar sua resposta ao tratamento, acelerar a recuperação, reduzir o risco de recorrência e melhorar sua qualidade de vida.

Desde o início da década de 1970, diversas dietas foram publicadas com o objetivo primário de emagrecimento e manutenção de peso e utilizaram-se do conceito de ‘’cetogênicas” (baixo teor de carboidratos e elevada ingestão de gorduras sem a preocupação com a contagem de calorias) como pedra angular. Alguns exemplos são Dr Atikins, South Beach, Dukan, além de outras.

Dieta cetogênica e câncer: quais são os efeitos?

Há muita controvérsia em como estas dietas produzem emagrecimento, já que o alto consumo de gorduras as torna hipercalóricas. Muitos pesquisadores acreditam que o emagrecimento prove do fato de que estas dietas são altamente saciadoras e termina por fazer a pessoa reduzir drasticamente a quantidade final de alimentos. Além disto, o baixo teor de carboidratos leva a uma redução da secreção de insulina, hormônio necessário para a incorporação dos alimentos ingeridos.

Uma observação preliminar de que tais dietas eram capazes de reduzir o número de convulsões em pacientes epiléticos trouxe a modalidade ao interesse da medicina.

Muitos subsequentes foram publicados, particularmente em pacientes oncológicos, ainda que em áreas bastantes diversas da oncologia clínica, produzindo uma lista de evidências apenas moderada sobre a sua real capacidade terapêutica.

São reconhecidos os muitos distúrbios metabólicos com que as células cancerosas são geradas, visto que, diferentemente das normais, praticamente só conseguem utilizar os carboidratos como fonte de energia. As células cancerosas são incapazes de utilizar a gordura.

Além disso, a insulina é o hormônio interno que mais é capaz de estimular células cancerosas a se proliferarem e que a busca por uma dieta com baixo teor de secreção de insulina tem sido sempre recomendada por oncologistas.

Cuidados são imprescindíveis

Por isto que a grande maioria dos estudos identifica benefícios da relação dieta cetogênica e câncer.

Contudo, existem poucas, mas importantes instâncias em que a dieta low carb de fato foi nociva a pacientes com câncer, como foi visto no melanoma com mutação no gene BRAF, no qual estimulava a proliferação maligna, ainda que, após adequado bloqueio da mutação, voltou a ver beneficio do uso da dieta.

Isto nos ensina que os casos de câncer são diferentes uns dos outros e que o oncologista é o profissional a encabeçar o time de cuidadores e prescrever este tipo de abordagem.

Efeitos predominantemente satisfatórios foram obtidos no tratamento nos seguintes tipos de câncer: glioblastoma, astrocitoma, meduloblastoma, câncer de próstata, do intestino grosso, neuroblastoma, pâncreas, mama, pulmão, estomago e fígado. Estudos negativos em câncer renal e resultados mistos como já mencionado em melanoma BRAF mutado.

Julgamos o desenvolvimento cientifico das dietas como uma nova via de abordagem promissora do câncer muito pouco explorada até então.

Autor: Dr. Artur Malzyner, oncologista e consultor científico da Clinonco

Colaboração de Natalia Fernandes Garcia de Carvalho, mestre em Ciências

 

Acesse o link do Portal Ativo.com: https://www.ativosaude.com/especialistas/dieta-cetogenica-e-cancer/

Leia Mais